A economia portuguesa caiu 1,4% no conjunto de 2013, mas registou um crescimento homólogo de 1,6% no último trimestre do ano, de acordo com os números avançados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com a estimativa rápida do Produto Interno Bruto (PIB) do INE, a economia registou uma queda menos acentuada do que a última previsão do Governo (-1,8%), mas mais profunda do que a primeira estimativa oficial, que apontava para uma contração de 1%.

Alinhada com as estimativas dos credores internacionais, a previsão inicial do Governo, foi revista para os -2,3% ao longo da sétima revisão regular do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro (PAEF), tendo depois sido novamente melhorada para os -1,8% em 2013.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e o Banco de Portugal tinham apresentado previsões mais otimistas do que as do executivo, antecipando uma contração de 1,7% e de 1,5%, respetivamente.

O INE justifica esta evolução, que acabou por ser mais positiva do que todas as previsões, com a recuperação da procura interna, “que apresentou um contributo positivo para a variação homóloga do PIB, o que não se verificava desde o quarto trimestre de 2010, refletindo principalmente o comportamento do consumo privado”.

Também a procura externa líquida teve um contributo positivo, “devido à aceleração das exportações de bens e serviços”, refere o INE.

Em termos homólogos, o PIB português cresceu 1,6% entre outubro e dezembro de 2013, interrompendo uma série de 11 trimestres consecutivos de contração homóloga.

Comparativamente com o trimestre anterior, o PIB aumentou 0,5% em termos reais no último trimestre do ano passado, tendo registado um crescimento em cadeia pelo terceiro trimestre consecutivo (+0,3% no terceiro trimestre e +1,1% no segundo trimestre de 2013).

Os analistas contactados pela Lusa tinham avançado com previsões que apontavam que a economia portuguesa tivesse registado um crescimento entre os 1,1% e os 1,3% no quarto trimestre de 2013 face ao mesmo período de 2012 e uma queda de 1,5% do PIB para o conjunto do ano.

Portugal com crescimento homólogo de 1,6% no 4.º trimestre de 2013

A economia portuguesa cresceu 1,6% no quarto trimestre de 2013 face ao mesmo período de 2012, invertendo a tendência de contração homóloga registada há 11 trimestres, segundo os dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com a estimativa rápida do Produto Interno Bruto (PIB) do INE, este crescimento homólogo 1,6% no último trimestre de 2013, seguiu-se a uma redução de 0,9% observada no trimestre anterior.

O INE justifica esta evolução com a recuperação da procura interna, “que apresentou um contributo positivo para a variação homóloga do PIB, o que não se verificava desde o quarto trimestre de 2010, refletindo principalmente o comportamento do consumo privado”.

Também a procura externa líquida teve um contributo positivo, “devido à aceleração das exportações de bens e serviços”, refere o INE.

Comparativamente com o trimestre anterior, o PIB aumentou 0,5% em termos reais entre outubro e dezembro do ano passado, tendo registado um crescimento em cadeia pelo terceiro trimestre consecutivo (+0,3% no terceiro trimestre e +1,1% no segundo trimestre de 2013).

No conjunto do ano 2013, a economia portuguesa recuou 1,4%, após uma queda 3,2% em 2012.

Corrigir Feedback PARTILHAR