Entretenimiento

Dragão obriga águia a voar – Futebol – Correio da Manhã

Abel Resende

Isto só vídeo! O FC Porto agarrou o comando da Liga num encontro marcado pela tecnologia do vídeo-árbitro. Uma expulsão, um penálti marcado e outro anulado fizeram João Capela gastar muita fita, não tanta como a que será necessária para o falatório que se adivinha. Os dragões saem por cima e passam o suspense para o jogo do Benfica, este domingo, em Moreira de Cónegos. A partida começou praticamente com o apito à Capela. Nem 3’ volvidos e o árbitro de Lisboa assinalava penálti por braço na bola de Nanú. Dois erros: foi com o peito e fora de área. O VAR entrou em ação e o disparate foi corrigido. Pouco depois, Alex Telles imitou o que Acuña fez na véspera e o lançamento encontrou Marega sozinho. O derrube de Lucas Áfrico valeu-lhe um amarelo. Bruno Esteves mandou Capela ao ecrã. Vermelho e Marítimo com dez jogadores. Na teoria, tudo mais simples para o FC Porto enviar a pressão para o Benfica. Na prática, foram os dragões que sentiram o stress de chegar ao golo. Só que rápido e bem… não houve quem. Nem Soares (11’), nem Marega (17’ e 24’), nem Otávio (23’) conseguiram derrubar Charles e companhia nos 20 ataques feitos em meia hora. Houve oportunidades, sim. Mas nada terrivelmente avassalador. O Dragão começou a desesperar quando Herrera acertou na trave e, na sequência, Danilo fez golo, em fora de jogo. Tudo anulado, sem vídeo, desta vez. No meio da confusão, era hora para intervalo. Hora também para Sérgio Conceição mexer na equipa azul-e-branca. Pepe foi sacrificado – já tinha amarelo, de uma entrada, no mínimo, arriscada -, Manafá na direita e Militão de regresso ao meio. E o facto é que o lateral veio com a mota ligada. Acelerações seguidas com resultados práticos: passe para Soares, que atirou à baliza, Gamboa cortou com o braço. Capela não viu, VAR chamado à receção. Penálti e Alex Telles a dar o primeiro dos ansiolíticos. Do esquerdino, saiu também o canto para Éder Militão cabecear para golo, no momento que dissipou todas as dúvidas. Quer dizer, resta uma: se Marega toca ou não na bola antes de entrar. Até final, mais um tento anulado, e bem, a Danilo e uma bola ao poste de Soares. Mas quem marcou foi Brahimi, sem direito a festejo. A ‘azia’ fica apenas para o argelino – os adeptos celebraram e muito a vitória. O FC Porto está hoje no sofá, com o comando na mão. A ver o que faz o Benfica.