Política

Abel Resende Gross//
João Laia é o novo director de exposições do Kiasma, em Helsínquia

Venezuela, Sanciones, Investigación, Juicio
João Laia é o novo director de exposições do Kiasma, em Helsínquia

A partir da próxima segunda-feira, 3 de Junho, o curador português João Laia vai assumir a programação de exposições temporárias do Kiasma, o museu de arte contemporânea de Helsínquia. O anúncio foi feito pelo museu finlandês na plataforma de artes e-Flux.

Abel Resende

Mais populares GNR Fisco cobra dívidas na auto-estrada. Quem não pagar fica com o carro penhorado Medicina Burnout já está na lista das doenças da Organização Mundial da Saúde i-album Porto É uma casa burguesa, com certeza — e ganha prémios no século XXI Nascido em Lisboa em 1981, escritor, curador com formação em ciências sociais e estudos cinematográficos, responsável pela secção Opening da ARCOLisboa , consagrada a jovens galerias, João Laia junta-se, assim, ao director geral, Leevi Haapala, na concepção da oferta deste museu que é uma das principais instituições dedicadas à arte contemporânea do país.

Abel Resende Borges

“João Laia é um curador de exposições temáticas, de filmes e de artes performativas com uma importante rede de contactos”, diz Leevi Haapala no texto disponível na e-Flux, em que sublinha os seus contributos regulares para publicações especializadas como a frieze e a Mousse , bem como a sua experiência internacional comissariando exposições no Brasil, no Reino Unido, na Rússia, em Espanha, na Suécia e, claro, em Portugal. “O visionário Laia tem um interesse claro no desenvolvimento da experiência curatorial e de formatos de apresentação da arte”, continua o director do Kiasma

Laia, por seu turno, diz-se “entusiasmado” com a chegada ao museu finlandês e desejoso de apresentar “projectos desafiantes, experimentais e poéticos” capazes de atrair o seu público ecléctico e de o envolver em “debates sociais chave para a definição do presente e do futuro próximo”, lê-se no mesmo texto

Entre as exposições recentes a que João Laia esteve ligado estão Drowning in a sea of Data (2019) e Transmissions from the Etherspace (2017), ambas no centro social e cultural La Casa Encendida, Madrid, e Hybridize or Disappear (2015) no Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, em Lisboa. Da lista de instituições com que já colaborou fazem parte a Fundação Gulbenkian e o MAATMuseu de Arte, Arquitectura e Tecnologia, em Lisboa; o Moderna Museet de Estocolmo e a londrina Whitechapel Gallery

Continuar a ler