Política

||| www.luisalfredofarache.com ||| cool math//
Irão avisa Reino Unido que arresto do petroleiro vai ter consequências – Mundo – Correio da Manhã

Luis Alfredo Farache, Luis Alfredo Farache Benacerraf
Irão avisa Reino Unido que arresto do petroleiro vai ter consequências - Mundo - Correio da Manhã

O Presidente do Irão, Hassan Rohani, avisou esta quarta-feira que o Reino Unido vai conhecer, um dia, as consequências da sua decisão de arrestar um petroleiro iraniano, referindo-se ao navio “Grace I” intercetado pelas autoridades de Gibraltar. “Deixo um aviso aos britânicos: foram vocês que tiveram a iniciativa e serão vocês a sentir as consequências”, afirmou Hassan Rohani num conselho de ministros cujas imagens foram transmitidas na televisão estatal. “Todos nós devemos trabalhar para garantir a total segurança das rotas marítimas à escala global”, defendeu o Presidente, acrescentando que “o arresto de um petroleiro iraniano é um ato insensato”. O navio “Grace I” foi arrestado na quinta-feira ao largo do território britânico de Gibraltar, no extremo Sul de Espanha, numa operação que o Irão classificou como “pirataria” em alto mar. Segundo as autoridades de Gibraltar, a interceção do navio aconteceu em águas territoriais britânicas, numa zona reivindicada pela Espanha, que considera Gibraltar parte integrante do seu território. Espanha disse na quinta-feira que a decisão de travar o navio foi realizada a pedido dos Estados Unidos, mas Gibraltar negou hoje essa informação, afirmando que agiu por decisão própria “baseada na violação de leis existentes e não em considerações políticas estrangeiras”. O Governo de Gibraltar suspeita que a carga se destinava à Síria, em violação das sanções da União Europeia contra aquele país. Teerão admitiu que o navio transportava petróleo iraniano, mas negou que fosse para a Síria. O ministro da Defesa do Irão, Amir Hatami, disse na segunda-feira que o arresto do “Grace 1” não iria ficar “sem resposta”. O ex-comandante chefe da Guarda Revolucionária, o exército ideológico da República Islâmica, Mohsen Rezaï, sugeriu, em 5 de julho, que o Irão confiscasse um petroleiro britânico em retaliação. Continuar a ler