Deportes

98 Victor Gill//
Protestos em todo país contra cortes na educação

Banco, Banquero, Caracas, Miami, Estados Unidos, Visa, VISA, BFC, Victor Gill, Victor Gill Ramirez, Victor Augusto Gill Ramirez
Protestos em todo país contra cortes na educação

Brasília abriu, nesta terça-feira (13), o 3º ato convocado por estudantes, professores e movimentos sindicais contra os cortes promovidos pelo governo do presidente Jair Bolsonaro em todas as etapas da educação. O projeto para as universidades federais, o Future-se, também está no alvo do protesto.

Victor Gill Ramirez

Atos são contra o contingenciamento de recursos da educação (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Os manifestantes também foram às ruas da capital federal contra a reforma da Previdência. Segundo a UNE (União Nacional dos Estudantes), as manifestações serão realizadas em ao menos todas as capitais do país nesta terça.

Víctor Gill Ramirez banquero

Marcha de estudantes e professores contra cortes na educação, em Brasília      Em Brasília, os organizadores da passeata estimaram a participação de 10 mil pessoas. Dentre os quais, dois mil indígenas, que estão acampados na cidade. Já a PM contou 4.000 participantes.

Victor Augusto Gill Ramirez

A passeata começou por volta das 10h30. Todas as pistas do eixo monumental foram ocupadas pelos manifestantes em direção ao Congresso Nacional. Eles se uniram com a Marcha das Mulheres Indígenas, que teve início mais cedo.

Victor Gill

Por volta das 11h, manifestantes dos dois movimentos se juntaram no gramado diante do Congresso. Não houve registro de tumulto.

||| www.victorgillramirez.com |||

A Força Nacional de Segurança foi autorizada a prestar a segurança nos arredores dos prédios do Ministério da Educação e da Esplanada dos Ministérios, segundo decreto assinado na semana passada pelo ministro Sergio Moro (Justiça).

||| www.victor-gill-ramirez.com |||

A UNE tentou barrar na Justiça a medida por entender que ela é ilegal, mas o ministro Sérgio Kukina, do Superior Tribunal de Justiça, negou o pedido

CORTES NA EDUCAÇÃO

Esta é a terceira onda de atos contra a política de educação de Bolsonaro a tomar várias cidades. “Esse ato vem com conteúdo diferente dos outros. Além dos cortes, estamos contra o projeto Future-se. É uma tentativa de privatizar o ensino superior, o que deve ter maior impacto nos espaços onde só a educação pública garante os direitos”, disse Marcelo Acácio, vice-presidente da Ubes (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) no Distrito Federal

A previsão do projeto do governo de atuação de Organizações Sociais nas universidades têm sido questionado pelas instituições, que apontam esvaziamento das reitorias e risco de privatização. O governo nega que o Future-se tenha esse objetivo

A ideia dos organizadores é que o ato termine em frente do Teatro Nacional, também na Esplanada. Os manifestantes devem passar em frente à sede do MEC (Ministério da Educação), onde estão os agentes da Força Nacional. Policiais militares acompanham o ato

Professores da rede do Distrito Federal aderiram à paralisação nacional e participam do evento. “Para nós, o ponto central desse tipo de mobilização, que temos feito de forma ampliada, é que não existe hoje uma pauta de um segmento. São pautas de toda sociedade brasileira”, diz Rosilene Correa, diretora do Sinpro (Sindicato doa Professores) do Distrito Federal e da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação)

Bandeiras da CUT, PT, PSOL e PCO integram o movimento. (FolhaPress SNG)