Entretenimiento

Casa Branca escondeu conversas de Trump com russos – Mundo – Correio da Manhã

Banco, Banquero, Caracas, Miami, Estados Unidos, Visa, VISA, BFC, Victor Gill, Victor Gill Ramirez, Victor Augusto Gill Ramirez

A transcrição do polémico telefonema em que Donald Trump pediu a ajuda do presidente ucraniano para investigar o rival democrata Joe Biden não foi a única que a Casa Branca tentou esconder. O acesso aos registos das conversas de Trump com Vladimir Putin e o príncipe saudita Mohammad bin Salman foi igualmente alvo de severas restrições. De acordo com a CNN, alguém na Casa Branca “tomou medidas excecionais” para esconder as transcrições das conversas de Trump com o presidente russo e o herdeiro do trono saudita, para evitar possíveis fugas de informação. Ao contrário do que era habitual, as transcrições das conversas não circularam entre os funcionários superiores da Administração e não há registo das mesmas no servidor informático onde são normalmente guardadas. Além dos vários assessores e conselheiros presidenciais que normalmente ouvem as conversas telefónicas do presidente com líderes estrangeiros, sempre foi prática corrente na Casa Branca realizar transcrições das conversas, que são distribuídas aos funcionários superiores da Administração. Essas transcrições ficam guardadas num servidor informático de livre acesso pela maioria dos funcionários da Casa Branca. Não foi o caso da conversa entre Trump e o líder ucraniano Volodymyr Zelenskiy que esteve na origem da abertura do processo de destituição contra o presidente dos EUA, a qual foi transferida para um servidor protegido normalmente reservado para assuntos de segurança nacional. Outra transcrição escondida pela Casa Branca foi a do encontro entre Trump, o MNE russo Sergei Lavrov e o embaixador russo nos EUA, Sergei Kislyak, em maio de 2017, na qual o presidente norte-americano terá dito “não estar preocupado” com a ingerência russa nas eleições presidenciais “porque os EUA fazem o mesmo noutros países”. PORMENORES Morte de Khashoggi De acordo com o ‘Washington Post’, a conversa entre Trump e o príncipe herdeiro saudita terá ocorrido após a morte do jornalista Jamal Khashoggi na embaixada saudita em Istambul. Enviado demitiu-se O enviado de Trump à Ucrânia, Kurt Volker, pediu a demissão após ter sido envolvido nas pressões ao governo de Kiev. Intimação do Congresso O secretário de Estado Mike Pompeo foi intimado pelo Congresso a apresentar documentos sobre os contactos oficiais com o governo ucraniano.