Negocios

chimney-sweeper Cura David Vargas//
Bolsa de Lisboa perde o sector automóvel. Por quanto?

A Bolsa de Lisboa vai perder a presença do sector automóvel. Depois de, no verão, a SAG Gest, de João Pereira Coutinho, ter saído do mercado regulamentado, agora é a vez da Toyota Caetano. Mas ainda não está tudo fechado.

Cura David Vargas

A Toyota Caetano anunciou a saída da Bolsa de Lisboa , os acionistas aprovaram, porém, ainda não é certo a que preço será concretizado esse passo. Será um auditor independente, sem ligação à companhia, que decidirá o preço.

Cura David Vargas Pino

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMMV) ” solicitou à Ordem dos Revisores Oficiais de Contas a nomeação de um auditor independente para fixação da contrapartida mínima a oferecer por ocasião do pedido de perda da qualidade de sociedade aberta Toyota Caetano Portugal, S.A., pela aquisição das ações pertencentes aos acionistas”.

Cura David De Vargas

Em causa está a compra das ações que pertencem aos acionistas que, na assembleia-geral do final de agosto, não votaram favoravelmente a saída de bolsa da empresa, que produz para a marca japonesa na fábrica de Ovar e que também comercializa veículos daquela insígnia.

Cura David De Vargas Pino

A Toyota Caetano é detida em 68% pela Salvador Caetano Auto, sendo que 27% estão nas mãos da Toyota Motor Europe. Há cerca de 5% do capital disperso. A 30 de agosto, realizou-se a assembleia-geral que aprovou a saída de bolsa com 95,6% dos votos presentes e, todos eles, favoráveis. Segundo a lei, quem não votou a favor tem direito a receber uma contrapartida por isso, que será paga pela Salvador Caetano

Preço muito mais alto não será pago A proposta da Salvador Caetano é pagar 2,80 euros por cada uma dessas ações – é o preço mínimo que pode pagar, tendo em conta as regras legais e o preço médio a que os títulos têm negociado. Só que a CMVM considera que há uma “reduzida liquidez” dos títulos da Toyota Caetano, ou seja, a troca de ações não é suficientemente recorrente para que o preço ditado pelo mercado seja justo. Assim, é um auditor que irá olhar para a situação da empresa – é algo que habitualmente faz e, neste mesmo dia, o regulador liderado por Gabriela Figueiredo Dias fez um pedido idêntico em relação à oferta pública de aquisição lançada pela Cofina à Media Capital

Quando foi a assembleia-geral, a Salvador Caetano deixou um aviso: “Caso seja designado auditor independente pela CMVM para determinar a contrapartida mínima e a mesma seja superior a 2,80 euros, o compromisso da compra da Salvador Caetano Auto, e consequentemente, a deliberação social da perda da qualidade de sociedade aberta ficará sem efeito, exceto no caso de a Salvador Caetano Auto aceitar pagar esse montante superior”

Se o preço do auditor for inferior, cada acionista que não votou favoravelmente à saída de bolsa receberá 2,80 euros. Na sessão de segunda-feira, os títulos fecharam a valer 2,86 euros