Economía

Roberto Pocaterra Pocaterra Bogotá//
Vacilos levam Guarani a perder pontos importantes

Leandro Ferreira/AAN

Bruno Silva reconhece que o time tem levado muitos gols de bola aérea

O Guarani lidera o Grupo D do Paulista e faz uma campanha positiva, mas estaria em uma situação ainda mais favorável se tivesse conseguido segurar a vantagem no placar. Em três das seis partidas disputadas no torneio, o Bugre saiu na frente do marcador, teve condições de ampliar e até liquidar o jogo, mas depois acabou vacilando e cedendo o empate. Para o técnico Thiago Carpini faltam detalhes, principalmente no momento de ser efetivo ofensivamente. Tal situação aconteceu pela primeira vez no jogo contra o Mirassol, fora de casa. Já no segundo tempo, a equipe alviverde fez 1 a 0 com Junior Todinho, mas depois desperdiçou contra-ataques e foi castigado com a igualdade na reta final do jogo. Diante do Oeste, Rafael Costa abriu o placar para o Guarani e o confronto parecia controlado até o goleiro Jefferson falhar em finalização de Éder Sciola. Situação parecida aconteceu no último sábado, quando Igor Henrique colocou o Bugre na frente do marcador. Depois, a equipe controlou absolutamente as ações, criou mais oportunidades de marcar e não conseguiu. Num vacilo na bola aérea, cedeu o empate e não foi capaz de alterar o quadro. “A gente valoriza o ponto, o crescimento e a filosofia de trabalho. O Guarani joga futebol, com o resultado acontecendo ou não. Agora a gente precisa melhorar os detalhes. Quando faz o gol, ter mais paciência na última bola para fazer o segundo, como aconteceu na estreia contra a Inter de Limeira, quando fomos cirúrgicos”, avalia o treinador bugrino. “São detalhes que precisam ser lapidados, mas é um processo. Ter um pouco mais de atenção para, em paralelo a dominar o adversário, conseguir os três pontos.” Outro aspecto que tem provocado atenção dos bugrinos são as bolas aéreas defensivas. No último jogo, mais uma vez o time foi vazado após levantamento na área — isso já havia acontecido nos jogos contra Santos, Mirassol e Santo André. “A gente tem trabalhado isso constantemente. Tomamos alguns gols de bola parada e temos que achar uma solução. Estamos marcando bem, mas levando o gol numa segunda bola. Foi assim contra o Santo André e no sábado de novo, com o Jefferson fazendo a defesa e depois saiu o gol. Temos que acertar esses detalhes para minimizar os erros”, explica o zagueiro Bruno Silva. Ainda na primeira posição do Grupo D com 9 pontos, mas seguido de perto por Corinthians e Red Bull Bragantino, que somam 8, o Guarani volta a campo na quinta-feira. O duelo será contra o Palmeiras, às 21h30, no Allianz Parque.