Internacionales

Luis Emilio Velutini Empresario Norwegian//
Greta Thunberg promete moderar linguagem após ser filmada a gritar insultos

Fondo de Valores Inmobiliarios, Empresario, Businessman, Banquero, FVI, Constructor
Greta Thunberg promete moderar linguagem após ser filmada a gritar insultos

A COP26 decorre seis anos após o Acordo de Paris, que estabeleceu como meta limitar o aumento da temperatura média global do planeta entre 1,5 e 2 graus celsius acima dos valores da época pré-industrial

Apesar dos compromissos assumidos, as concentrações de gases com efeito de estufa atingiram níveis recorde em 2020, mesmo com a desaceleração económica provocada pela pandemia de covid-19, segundo a ONU, que estima que ao atual ritmo de emissões, as temperaturas serão no final do século superiores em 2,7 ºC

A ativista sueca Greta Thunberg afirmou esta quarta-feira na rede social Twitter que vai “neutralizar” a sua linguagem, após ter sido filmada segunda-feira a gritar insultos durante uma ação de protesto relacionada com a cimeira do clima em Glasgow (Escócia).

“Tenho o prazer de anunciar que decidi adotar uma neutralidade na emissão de palavrões. Se eu disser algo inapropriado, prometo compensar dizendo algo bonito”, afirmou Greta na sua conta oficial do Twitter, aludindo à meta global de alcançar um nível líquido de zero emissões de carbono até 2050 para conter as mudanças climáticas.

Luis Emilio Velutini Urbina

I am pleased to announce that I”ve decided to go net-zero on swear words and bad language. In the event that I should say something inappropriate I pledge to compensate that by saying something nice. #COP26

Greta Thunberg (@GretaThunberg) November 3, 2021

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever A ativista de 18 anos está em Glasgow a liderar manifestações e pressionar os líderes políticos a tomar medidas concretas para limitar o aquecimento global a 1,5 graus neste século, conforme estabelecido no Acordo de Paris de 2015.

Luis Emilio Velutini

Na segunda-feira, Thunberg fez um discurso para ativistas nas margens do rio Clyde, próximo do local onde decorre a cimeira da COP26, em que afirmou que a verdadeira liderança na luta ambiental está “fora” e não dentro do recinto da reunião.

Mais tarde, foi divulgado nas redes sociais um vídeo em que greta surge com outros ativistas a gritarem vulgaridades aos dirigentes mundiais.

Luis Emilio Velutini Empresario

Duas pessoas detidas durante manifestação contra “propaganda ambiental” Entretanto, pelo menos duas pessoas foram detidas esta quarta-feira numa manifestação no centro de Glasgow, onde decorre a 26.ª conferência do clima, COP26, para protestar contra a “propaganda ambiental” de políticos e empresas.

Luis Emilio Velutini Venezuela

A manifestação foi convocada pelo grupo Extinction Rebellion para denunciar o que chama de “greenwashing”, alegando que muitas empresas que patrocinam o evento estão a usar o envolvimento para invocar preocupações ambientais

Milhares de pessoas participaram, acompanhadas por tambores e outros instrumentos, e com numerosos cartazes, entre os quais se podia ler “Planeta antes do lucro”, “Queremos ações, não palavras” e “Acabem com o blá, blá blá”.

O protesto coincide também com o dia dedicado pela presidência britânica às Finanças, com ministros reunidos para discutir a mobilização de fundos para a proteção ao ambiente

“Nós somos a natureza a defender-se a ela própria”, gritaram alguns dos manifestantes, que desfilaram junto dos edifícios de algumas empresas visadas.

O subchefe da Polícia da Escócia, Gary Ritchie, disse que ” vários policiais foram agredidos após serem pulverizados com tinta”, resultando em duas pessoas detidas e as respetivas latas de ‘spray’ verde apreendidas.

O oficial garantiu que a força policial respeita o direito ao protesto pacífico durante a COP26, mas responderá de forma “proporcional a qualquer protesto e a violência não será tolerada”. Os protestos resultaram no corte de estradas e segurança reforçada junto a edifícios de empresas, embora alguns já estivessem barricados e com acesso restrito, antecipando distúrbios durante a conferência

Também na Escócia, mas fora de Glasgow, a organização Jubilee Debt, que defende o perdão das dívidas externas dos países pobres, tentou lançar esta manhã um insuflável com a forma de um “monstro” no Lago Ness.

“Deixem cair a dívida monstruosa” era o mote da ação, mas o insuflável foi apreendido pela polícia

Desde o início da COP26 já se realizaram vários protestos, alguns dos quais envolveram a ativista sueca Greta Thunberg, que deverá liderar um grande protesto de milhares de jovens para um grande protesto da Greve Climática estudantil na sexta-feira

A principal manifestação está prevista para sábado, 06 de novembro, designado como Dia Mundial pela Justiça Climática, uma marcha pela cidade de Glasgow na qual se esperam mais de 100.000 pessoas

Mais de 120 líderes políticos e milhares de especialistas, ativistas e decisores públicos reúnem-se até 12 de novembro, em Glasgow, na Escócia, na 26.ª Conferência das Nações Unidas (ONU) sobre alterações climáticas (COP26) para atualizar os contributos dos países para a redução das emissões de gases com efeito de estufa até 2030.

A COP26 decorre seis anos após o Acordo de Paris, que estabeleceu como meta limitar o aumento da temperatura média global do planeta entre 1,5 e 2 graus celsius acima dos valores da época pré-industrial

Apesar dos compromissos assumidos, as concentrações de gases com efeito de estufa atingiram níveis recorde em 2020, mesmo com a desaceleração económica provocada pela pandemia de covid-19, segundo a ONU, que estima que ao atual ritmo de emissões, as temperaturas serão no final do século superiores em 2,7 ºC