Internacionales

LGBT+. Moreira, o BE e a apropriação de causas

Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, acusou os deputados municipais do Bloco de Esquerda de se apropriarem das causas da comunidade LGBT+. A acusação surgiu após Susana Constante Pereira, deputada municipal do BE, ter feito um pedido de esclarecimento sobre o papel da autarquia na organização do LGBT+ Music Festival, entretanto cancelado

“A iniciativa está a ser pensada à revelia e não em consonância com a organização histórica com 16 anos feita pela comissão organizadora da marcha do orgulho”, disse Susana Constante Pereira

“Não são donos de um movimento, nem proprietários de um movimento”, respondeu o autarca independente, garantindo que, “enquanto for presidente da Câmara, o BE não  vai apropriar-se desses movimentos cívicos, deve participar neles, deve apoiá-los”. Mais, Rui Moreira acusou o BE de “tentar capturar o movimento LGBT+ em Portugal”, considerando a ação uma “vergonha” e um ato “fascista”

Mas a deputada bloquista não se deixou ficar, acrescentando que o partido “não se apropria de movimentos” e que “está e estará desde o primeiro momento” ao lado da comunidade LGBT+